Precisamos falar sobre os corpos na pandemia



A pandemia reduziu nossa convivência com o outro e com o todo. Passamos muito tempo em casa, sentindo medo, tristeza, raiva e insegurança. E todas essas emoções são experienciadas no nosso corpo! Você já parou para pensar o quanto o que a gente sente mobiliza o nosso corpo? Imagine um corpo que não se movimenta para redistribuir o que fica parado? Dissipar as tensões provocadas pelas emoções?


A dificuldade de manter uma rotina de exercícios físicos causada pelo isolamento e pelas dúvidas que a pandemia nos causou fez com que algumas pessoas sentissem seus corpos mais parados, e até diminuindo ou aumentando de tamanho.


Percebo uma preocupação enorme com a imagem corporal, principalmente agora em que estamos numa fase de retomar, cada vez mais, as atividades presenciais. Essa insatisfação corporal, a depender do grau, pode desencadear comportamentos transtornados como treinar em excesso, dietas muito restritivas, busca por soluções milagrosas, como se o corpo pudesse ser moldado, de forma simples e rápida sem prejuízos ao nosso organismo.


Se, ainda por cima, tratarmos o exercício físico como um dever/obrigação e não como um momento de conexão legítima com o nosso corpo, movimentar-se fica ainda mais difícil neste panorama onde tudo parece estar muito confuso.


A abordagem do exercício intuitivo pode ser aplicada em qualquer modalidade física. Fazer um exercício intuitivo é uma ação constante, uma energia aplicada durante a atividade. Requer presença, intenção, respeito aos sinais do corpo e nenhum desses parâmetros é conquistado de maneira forçada. Praticar exercício físico é um compromisso cheio de respeito pelo seu corpo.


Aqui seguem algumas dicas para a prática corporal na abordagem Exercício Intuitivo:


  • Perceba como está seu corpo antes de começar um exercício: alguma parte dói? Você sente algum incômodo? Como está sua energia e disposição? Como estão seus pensamentos?

  • Durante o exercício, perceba como está sua respiração, se alguma parte do corpo está precisando de atenção, se você sente algum desconforto ao realizar sua caminhada ou corrida, por exemplo.

  • Após a realização do exercício, perceba como você se sente, física e mentalmente; respire fundo, sinta o ar entrando nos seus pulmões e agradeça ao seu corpo por desempenhar tão bem o papel de estar em movimento.


Agradecer o funcionamento fisiológico do seu corpo, pode ser uma via de reconstrução da estima pelo seu corpo.